14 de jul de 2011

Yanominho, o Índio que Venceu o Medo



Em uma floresta muito bonita no meio da
Amazônia, perto do rio Solimões, vive uma grande
tribo indígena. Eles possuem alguns costumes
diferentes dos nossos: suas casas, por exempto se
chamam ocas, suas roupas são feitas de plantas,
de casco de coco e enfeitam seus corpos com tinta
retirada de sementes, além de viverem da pesca
e da plantação de mandioca e milho.
Nessa tribo há muitas crianças, elas ajudam
suas famílias nos afazeres do dia-a-dia, elas pescam,
sobem em árvores muito altas, nadam, remam
canoas bem pequenas, brincam com os bichos:
preguiça, filhotes de jacaré, araras, macacos,
é uma grande aventura viver ali...
Yanominho era um menino que falava
pouco e quase não tinha amigos, vivia
no seu esconderijo: uma casinha
na moita de uma árvore. Os garotos
o chamavam de medroso. E ele era mesmo, ele era
triste de tanto medo que sentia: medo de tudo: da
chuva, do rio de águas escuras do lago, de doença...
Um dia, chegou um aviãozinho trazendo uma família de
missionários lá na tribo, era um casal de médicos e sua filhinha Ana, eles vieram
prestar serviços médicos aos índios e falar do amor de Cristo àquelas famílias, pois
apesar deles viverem em meio a tanta beleza e fazerem coisas que toda criança gosta,
elas não eram felizes.
Toda tribo tinha medo de uns tais “maus espíritos” que de vez em quando ficava
zangado com eles, mas ninguém sabia porquê e se isso era de verdade, em todo caso
eles não conheciam um Deus amoroso e sim um
deus furioso.
Os missionários trabalhavam muito, atendiam
os doentes, medicavam, oravam com as pessoas,
falavam de Jesus, levavam a esperança de
terem um Deus que os ama tanto que entregou
Seu filho para salvar todas as pessoas dos seus
pecados, os índios reuniam suas famílias e ouviam
atentamente a mensagem.
Certo dia, Aninha estava andando perto da
floresta, resolveu parar e orar para agradecer a
Deus por ter criado tantas coisas bonitas e que
ela nunca tinha visto antes. Quando terminou
de orar, ouviu um barulho, parecia alguém se
mexendo em meio ao mato, mas ela não via
ninguém...Corajosamente ela disse:
-Quem está aí? Levante-se já! Alguém respondeu
baixinho:
-Sou eu, Yanominho, eu estou escondido,
estou com medo! Yanominho disse a Ana sobre
os sonhos que ele tinha de noite, do medo do
escuro e perguntou se ela não tinha medo. Ana
falou a ele do amor de Deus, do Seu poder tão
grande e que por isso, não precisava temer nada,
pois a bíblia, o livro de Deus diz que os anjos do
senhor se acampam ao redor dos que o temem.
Ele perguntou a ela como ele poderia fazer
para se tornar corajoso e falar com esse Deus
amoroso que protege as pessoas. Então eles oraram
juntos e aquele indiozinho chorou de tanta
alegria de começou a sentir no seu coração. As
pessoas notaram durante dias seguintes que ele
estava diferente, andava sempre sorrindo e dizendo:
Nós não precisamos ter medo, existe um
Deus de amor!
A vida de Yanominho mudou grandemente,
o casal de missionários o ensinou a Ier e o presenteou
com uma Bíblia. Agora aquele menino
já é um rapaz e tem viajado de tribo em tribo
para falar do Deus amoroso que mudou sua vida
e de toda a sua tribo.

Aplicação: Crianças, nós não precisamos ter
medo, precisamos abrir nosso coração para Jesus
e pedir para que Ele perdoe todos os nossos
pecados, que são as coisas que falamos, pensamos
e fazemos que não agradam ao Deus amoroso
que nos quer muito bem. Precisamos orar
e pedir proteção a Ele. Também devemos fazer
como o Yanominho, devemos dizer a todas as
pessoas que elas podem ser felizes com Jesus,
além disso, vamos orar pelos missionários que
estão falando de Cristo aos povos indígenas.

Fonte: Revista de Missões

0 comentários:

Postar um comentário