11 de abr de 2013

Ensinar: Um Exercício que Aprimora Gerações

Nunca se ouviu falar tanto em educação como em nossos dias. A busca pelo conhecimento acadêmico, formal, tem crescido significativamente. Milhares de pessoas estão procurando aperfeiçoar-se na perspectiva de não ficar de fora do mercado de trabalho. As profissões de maior ganho financeiro são as mais cobiçadas. Os ditames do capitalismo continuam regendo o processo educativo, não com a preocupação de formar sujeitos autônomos, conscientes e críticos da sua própria realidade, mas com o objetivo de suprir a demanda do mercado de trabalho, ou seja, em não permitir que falte a força geradora de lucro, que sempre se concentra nas mãos de uma minoria.

Investir em educação que se preocupa com o indivíduo, enquanto ser, deveria ser o ponto de partida para a construção de um processo educativo que prima pelo pensar e que busca, incansavelmente, por uma formação libertária, pois na medida em que ensinamos para ser, o fazer se torna ético e moral.

Como primeira escola do SER, a família não pode se eximir da responsabilidade de transmitir valores que moldem o caráter dos filhos (Dt 6:7; 11:19), pois o compartilhar de virtudes, por meio da vida, é que faz toda a diferença na construção de uma sociedade mais justa, humana e igualitária. Negligenciar a educação do lar é colocar em risco o futuro de um povo.  Tanto a “Escola” como a “Igreja” são vítimas dos desmandos da família, que vem se mostrando cada vez mais incapaz de cumprir a missão que lhe foi conferida pelo criador – “EDUCAR”.

Quer um conselho? Ensinemos para a vida! Sejamos mediadores de uma educação que pense no homem como um todo, e não apenas numa máquina geradora de lucros. Motivemos os filhos a serem reflexivos, sujeitos da própria existência, para que amanhã não sejam fantoches nas mãos do “outro ser”. Primemos em compartilhar o que somos, para que amanhã os filhos tenham referencias para se espelharem. Valorizemos e estimulemos o ensino espiritual, pois ele é capaz de aprimorar gerações (Dt.4:9) e promover lucratividade não apenas para esta vida, mas por toda a eternidade (Js 1:7,8).  

Pr. Ângelo Mário.

0 comentários:

Postar um comentário